Publicado em Brasil

“O Homem Mecânico”

De brincadeira em brincadeira, a peça ainda não foi para o teatro, mas já virou história em quadrinhos para colorir!!!

Soraya Rangel descobriu a peça de teatro infantil que meu pai escreveu no meio das  brincadeiras com a menina de 7 anos, e me colocou como autora junto com ele.

Soraya foi atras  do ilustrador e nos apresentou o projeto já meio encaminhado: história em quadrinhos para as crianças colorirem!!! Achamos lindo , eu, minha irmã Norma e minha Mãe que sempre esta pronta a promover  a preservação da obra do meu pai.

Soraya se ocupou de tudo e fez o projeto acontecer com edição da Puc e o apoio da Delphos que preserva os acervos de Pedro Geraldo Escosteguy e de vários escritores gaúchos.

Relendo a peça, percebo que o sentimento humanitário que acompanhou a obra e a pessoa, também estão presentes,  nesse pequeno livrinho, propondo de forma lúdica a destruição do homem mecânico. Todos somos um pouco de cada um dos personagens e não há substitutos para o homem, somos muito mais poderosos exatamente porque temos sentimentos e somos capazes de lutar pela paz e igualdade entre os homens.

Certamente gostaria de despertar esse sentimento nas novas gerações.

Escrevi  para  introdução do livrinho esse texto carregado de memórias:

 

“Dos 7 aos 70,

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os anos passaram e me vejo hoje fazendo a mesma brincadeira com meus netos e

me deixando surpreender por eles. Oscar com 5 anos  me  ensinando a fazer

pizza e cheio de certezas me diz :Minha pizza favorita é a Margarida.

Stellinha, com seus 2 aninhos, trabalha seriamente na fábrica das pizzas.

Esse jogo lúdico e desafiante era contínuo com meu pai.

Um exercício poético, uma reconstrução do olhar e da sensibilidade

Acho que nossas brincadeiras eram sempre uma volta à infância e um desafio

criativo.

Até que acabou saindo o “homem mecânico”, ao final de muitas brincadeiras.

O Pai  se alimentava desses momentos lúdicos,  assim como eu , hoje, me divirto

observando com olhos curiosos, procurando penetrar no mundinho de Oscar e

Stellinha , buscando alimento para mim mesma.

Olho para eles e vou me reinventando e armazenado  pequenas memórias que

transformo em clips ou lapsos de memórias.

Reflito mais um pouco e vejo que , nos anos 60, houve um momento em que eu

e meu pai tivemos a mesma idade.

Foi quando comecei a pintar e ele descobriu um novo caminho nas artes

plásticas. Nasceram as poesias visuais.

Participamos juntos da Nova Objetividade Brasileira em 1966.

O instrumento de trabalho dele era a palavra e para mim  foram as cores.

Desenvolvi meus projetos buscando o equilíbrio, através das formas  e das

cores. Ele se afirmou fazendo instalações e quadros que,  com

poucas palavras, eram verdadeiros manifestos políticos.

Seguimos nossos caminhos, sempre com o sorriso e os olhos curiosos, nos

apropriando do que a vida nos oferecia.

Hoje , revirando o passado e repensando toda essa vivencia,  vejo que o passado

ainda está vivo, e o exercício da criação  e o da sensibilidade caminham juntos

fazendo historias.

Como sei que meu pai adoraria, dedico este livrinho ao Oscar e Stellinha, meus

netinhos, bisnetos de Pedro Geraldo Escosteguy.

Agradeço à Soraya pela iniciativa.”

Solange Escosteguy Cardoso.

 

Publicado em Café com Letras

Melhores Momentos do Café com Letrinhas com Salviano

Salviano Pessoa descreveu muito bem o que significou o Café com Letrinhas e por isso tomo a liberdade de transcrever.

“Olá Solange,

Fiquei muito feliz com o resultado e ainda mais feliz por termos realizado um evento fraternal no qual a emoção falou mais alto, mostrando que arte mais uma vez também é educacional.

Fiquei muito feliz que você tenha gostado, e que tenhamos encerrado esse café com letras com chave de ouro.

Gostaria de te agradecer pela oportunidade de concretizar esse show infantil que teve tanto significado em minha vida e de poder ter conhecido um outro lado artístico meu que antes ainda nao tinha mostrado. Obrigado por me introduzir a essa comunidade mirim e por abrir as portas “

Eu também fiquei muito, muito feliz com a realização desse encontro porque veio de encontro a tudo que acredito e vim me batendo al longo dos 19 encontros que pude organizar .

Sem dúvida nenhuma, o Café com Letras foi o melhor trabalho que realizei em Toronto nos ultimos 3 anos.

Sei que fiz bem a muita gente, mas vocês todos também fizeram muito bem a mim .

Nossa cultura e nossa lingua é a melhor herança que podemos deixar para os nossos pequenos que vivem e são criados longe de nossas raizes e do nosso Brasil.

É o jeito de ser e ver o mundo do brasileiro.

E Salviano esta dando uma grande contribuição em prol da nossa cultura e das nossas crianças.

Estamos todos de parabéns por contar com Salviano Pessoa dentro da comunidade brasileira no Canadá.

Como sempre, deixo com vocês  2 recortes de poema :do nosso já centenário poeta Vinicius de Morais para as crianças:

Canção prá Francisco, amigo dos bichos e da gente

La vai Francisco

Pelo caminho

Levando ao colo

Jesuscristinho

Fazendo festa

No menininho

Contando histórias

Pros passarinhos

E de Manoel Bandeira, menino grande do nordeste,

“O maravilhamento da primeira paixão”

Quando eu tinha 6 anos

Ganhei um porquinho da Índia

Que dor de coração me dava

Porque o bichinho só queria estar debaixo do fogão!

Levava ele prá sala

Pra os lugares mais bonitos , mais limpinhos

Ele não gostava:

Queria estar debaixo do fogão

Não fazia caso nenhum das minhas ternurinhas

O meu porquinho da índia foi minha primeira namorada.

AGRADECIMENTOS:

Consulado Geral do Brasil o apoio institucional para o Café com Letras.

Casa do Alentejo e a hospitalidade generosa dos portugueses.

todas as voluntárias que me ajudaram ao longo desses encontros e em especial as que trabalharam nesse evento:

Carol Leães que sempre faz a programação visual dos convites

Sofia Matulis que cuidou das fotos.

Andréia Morais, Rita de Almeida, Raquel Teixeira e Suely Anunciação na recepção

Mara Moura e  Yadhira Guarneros pintando os rostinhos

Cris Guelfi na decoração

Um muito obrigada a todos que ofereceram prêmios para o sorteio.

Já é uma tradição no Café com Letras e dessa vez,  foram muito generosos.

Os prêmios são também uma maneira de divulgar os produtos e serviços de brasileiros que encontramos aqui:

IKOVE – produtos naturais

www.ikove.ca

Pitú – kit de cachaça

www.pitubrazil.com

Cariocas Import &Export Inc – Bombons garoto e outros produtos

www.cariocasimportandexport.com

T.W. Nourishing the planet – produtos de beleza naturais

www.twimporters.com

Sara Cakes – bolos decorados

sarabarretocakes@yahoo.ca

Cristina Osório – corretora de imóveis

cris.0505@hotmail.com

Muiraquita Capoeira – Marcio Mendes

www.muiraquitacapoeira.com

Mary Kay – Silvana Choseck – 647 309 2805

True Cords – site educativo para aprender violão no IPHONE

Selma de Abreu – 1 quadro pintado pela artista

Brafftv – passes para o Festival de cinema brasileiro em outubro próximo

Publicado em Café com Letras

Café com Letras 14a edição

Maria Inês Gandolfo é psicóloga, professôra da Universidade de Brasília e atualmente é professôra visitante na Universidade de Toronto no Canadá.

Com imenso prazer o Café com Letras conta com sua presença na 14a edição.

Inês vai falar sobre o “problema da droga na adolecência”e discutiremos maneiras de lidar com o problema numa fase tão difícil como a adolecência,tempos de transição e afirmação para todo jovem.