Publicado em Toronto, Vivências em Dublin e arredores

Ecos de Toronto

Ecos de Toronto Nesse final de semana a Revista Etc&Tal de Toronto, promoveu uma festa em homenagem as mulheres. Nessa festa várias mulheres foram homenageadas, escolhidas pela comunidade brasileira que se manifestou de várias maneiras pela mídia e internet. Isa Mello escreveu esse artigo na sua revista:

 

Viver sem tempos mortos

“Assim, dessa forma, sem tempos nulos vivem a maioria das mulheres nos dias atuais. A frase título , imortalizada pela filósofa francesa, Simone de Bouvoir, símbolo do feminismo e da mudança de comportamento, soou como um recado às mulheres de sua geração. Elas foram à luta. O dia internacional da mulher lembra as russas que enfrentaram os empresários por falta de condições justas e igualitárias no início do século XX. Foi difícil e os desafios contra um mundo machista ainda existem. Mas, elas fizeram história. Cada qual em sua área fazendo melhor, graças à sua atençãoo aos detalhes e à famosa intuiçãoo, atributo de um sexo cada vez menos frágil. Podemos escrever enciclopédias, “best sellers”, com histórias de mulheres bem sucedidas. Muitas delas nem pensam em derrubar barreiras, simplesmente fazem, como a médica Zilda Arms, que ajudou a extinguir a desnutriçãoo infantil no Brasil, ou a primeira dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, que tenta diminuir o índice de obesidade nas crianças de seu país. Também no campo político, destaques para a Prefeita de Mississauga, de 93 anos, Hazel McCalion e para a Primeira Ministra de Ontário, Kathleen Wvnne, duas mulheres de vanguarda no poder.

 

As mulheres imigrantes também são um exemplo de coragem e vitória. Em nossa comunidade de língua portuguesa temos grandes exemplos, lembrados pelo público, através de sondagem feita pela etc&tal magazine. Destaques para nomes como a esposa do ex Consul Geral do Brasil em Toronto, Solange Escosteguy, a empresaria Angela Mesquita, a cantora Cibelle, a proprietária do restaurante Brazilian Star, Marcia Neves, a brasileira Gislaine Martins, eleita como a mais elegante de 2013 em eleição feita pela etc&tal, a empresaria Arilda de Oliveira, organizadora do Brazil Fest, eleito pelo público como o melhor festival brasileiro de Toronto e a garota etc&tal Stefany Santos, escolhida pelos leitores e pelo fotógrafo Maurício Gimenez. Para fechar a lista, um destaque especial para Angie Machado, que realiza há anos campanhas em prol da luta contra o câncer. Vale lembrar que na Festa das “Ladies” desse ano, promovida pela etc&tal, certificados de reconhecimento serão entregues para todas essas campeãs. A etc&tal magazine parabeniza essas mulheres e tantas outras que fazem de cada dia do ano o seu dia.”

 

Me senti muito honrada e com um sorriso nos lábios por ser lembrada por essa comunidade que foi tão generosa comigo e com a qual apreendi tanto. De Dublin, agradeço o carinho e sinto não haver participado dessa festa e recebido pessoalmente meu certificado, reconhecimento de um período extremamento frutífero e prazeiro que tivemos ,eu e Afonso, em Toronto.

Obrigada Isa Mello e parabéns pelo trabalho que vem realizando. Estou esperando pelo livro de culinária infantil que esta saindo.

Publicado em Toronto

Parabéns prá vocês

Parabéns prá vocês…

Minha homenagem tripla pelo aniversário do Afonso, de nosso filho Marcelo e nossos 42 anos de cumplicidade , na alegria e na tristeza!

Dia 8 de abril meu pensamento é para vocês.

Tive a alegria de poder gravar essa pequena homenagem com músicos e amigos maravilhosos na despedida para Henrique Cazes.

Henrique e Marilia, sua companheira e esposa, trouxeram para Toronto a alegria do Chorinho e também de sua amizade,

Alan Hetherington, o canadense mais brasileiro que conheço junto com vários músicos e Wagner Petrilli, proporcionaram esse lindo momento

Obrigada.

Publicado em Toronto

Se essa rua fosse minha

Convido a todos para o Musical infantil: “Se essa rua fosse minha”.

Uma produção de Marisa Oliveira e Valter Barberini e Direção de Barbara de la Fuente.

O consulado Geral do Brasil apoiou e incentivou esse lindo projeto para nossos brasileirinhos, mas também para os grandinhos se divertirem.

O desenho do convite foi um oferecimento do nosso ilustrador Jô de Oliveira que há pouco tempo esteve em Toronto fazendo workshop com nossas crianças.

Espero vocês lá.

 

Publicado em Toronto

Hamilton de Holanda

Hamilton de Holanda

O Show de Hamilton de Holanda representou , para Afonso e para mim, mais do que uma simples apresentação, mas o sonho de trazer para Toronto , não só para os brasileiros, mas para os canadenses também, um outro Brasil, um outro lado da nossa musica que transita entre o clássico e o popular, entre o jazz e o samba, o Chorinho.

Os Brasilianos são os melhores representantes desse gênero musical.

Aline Morales e Wagner Petrilli cantaram lindamente o Hino Canadense e o próprio Hamilton nos ofereceu o Hino brasileiro.

Cléo , foi uma baianinha linda que recepcionou nossos convidados.

Agradecemos a todos do Consulado e do teatro que trabalharam duro para que tudo saísse impecável.

O 7 de Setembro foi celebrado com enorme dignidade, como o nosso Brasil merece.

Transcrevo abaixo a apresentação do programa do concerto:

“Hamilton de Holanda é o herdeiro de uma bela tradição brasileira de virtuosos tocadores de bandolim. O bandolim é um instrumento solista ,frequente no choro, um dos mais antigos gêneros musicais no Brasil e que tem suas raízes nos saraus no quintal da classe média  do Rio de Janeiro.

Hamilton ganhou em 2011 e em 2012 o prêmio de melhor solista nos Prêmios Musicais do Brasil.

Como seus parentes norteamericanos, o choro mistura ritmos e melodias africanos e europeus, e remonta ao século XIX. Hamilton explora até seu limite extremo o inesperado potencial polifônico de seu bandolim de 10 cordas em belos choros tradicionais e modernos.

Como compositor ou como intérprete, Hamilton sempre cria na divisória entre tradição e inovação, entre a música clássica e a popular. Não é, portanto, surpresa que grandes cantores e instrumentistas adorem apresentar-se com ele.

O Quinteto de Hamilton, também conhecido como Os Brasilianos, é um grupo de instrumentistas também premiados. Daniel Santiago (violão), Gabriel Grossi (harmônica), André Vasconcellos (contrabaixo) e Xande Mendonça (bateria) são referências obrigatórias no cenário musical brasileiro.”

Publicado em Toronto

Memórias que valem a pena serem lembradas

Há momentos da vida da gente em que é só a distancia nos mostra o verdadeiro significado de um gesto, um sorriso ou de algo que fizemos ou deixamos de fazer.

Das coisas que mais me gratificaram e , tive muitas, foram as aulas de papel maché .

Custei muito a me convencer de que era capaz e mais, que gostava de passar a minha experiência para os outros. Foram muitas pessoas me empurrando e estimulando para que isso acontecesse.

Quando sai de Montevidéu deixei uma aluna que continuou e ampliou o grupo. Adorei!Foi a primeira vez que vi a minha sementinha da criatividade dando frutos.

Depois no Brasil tive um grupo que trabalhou comigo 3 anos, até eu partir para Angola. O grupo se dispersou, mas muitas continuaram trabalhando.

Em Angola pude fazer alguns workshops na Galeria Celamar que era a conexão com os artistas locais. Gostaria de ter feito muito mais, mas tudo era difícil e meu tempo sempre corrido. Ficou a nostalgia, promessas de volta e a sensação de que ainda havia muito por fazer.

Hoje a vida me surpreende com esse email de uma amiga e artista que conheci em Angola e que participou de um dos cursos que fiz em Luanda.

Que presente maravilhoso ver que a sementinha vingou e já está dando frutos. Parabéns Virgínia e parabéns ao teu grupo que tenho certeza estará produzindo cada vez melhor e com a alegria da descoberta de novos caminhos. É para isso que serve a arte, para abrir novas expectativas, criar novos caminhos e descobrir que quanto mais se trabalha , mais ideias vão surgir e se multiplicar.

Obrigada, quero ver mais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

“OLá Solange!

Como vai ? Tudo bem convosco?

Mais uma vez quero agradecer a gentileza de me ter enviado a sua receita de papier maché e aproveito para lhe enviar algumas fotografias do grupo de jovens paraplegicos com que estamos trabalhando.

Já começa a dar frutos ( neste caso é mais galinhas do mato) , eles estão super motivados e no próximo Domingo será o bazar de Natal do grupo Amizade e lá vamos nós vender galinhas com os meninos.

Espero que goste do nosso trabalho,ainda não está muito perfeito mas vamos chegar lá se Deus quiser!

Um grande beijinho e um abraço cheio de saudade.

Virginia

Publicado em Arte Solange, Toronto

Arte pública


olha isso!!!

www.youtube.com

Focalizando, em seus ateliês, os artistas plásticos Abrahan Palatnik, Antonio Dias, Carlos Vergara, Glauco Rodrigues, Helio Oiticica, Ligia Pape, Lygia Clark, Pedro Escosteguy…
Uma preciosidade dos anos 60 que vale ser vista. Esse filme é parte da minha história também. Tem texto e roteiro de meu pai, Pedro Escosteguy. Talvez seja o único documentário filmado das artes plásticas nessa época. Minha participação nesse filme foi só de presença, mas é exatamente essa vivência que  marcou minha trajetória na artes plásticas. Adorei rever e ver esse filme com os olhos de hoje e ver o tanto que ainda faz parte de mim.
Publicado em Toronto

Nuit Blanche

Uma das 1001 instalações na noite da Nuit Blanche

Café com Letras

NUIT BLANCHE: a cidade muda de rotação: as ruas, galerias, museus abrem seus espaços para inúmeras manifestações artísticas. A cidade vira um verdadeiro happening. É a coisa mais parecida com o carnaval do Rio, parece que a cidade inteira vai para as ruas, se fantasiam e entram no imaginário dos artistas que trazem sua criatividade para as ruas. Só acontece uma vez por ano
Começa sábado às 6.00pm e vai até 6.00am de domingo. São diversos pontos na cidade.Vende-se um passe do metrô por $10.00 para a noite inteira.Quem nunca foi, não perca!