Publicado em Uncategorized

Festival de chapéus

Era para ser uma competição de obstáculos com cavalos e cavaleiros premiados.
Um lugar lindo , muito bem preparado para o acontecimento, inúmeros participantes do mundo inteiro, inclusive um brasileiro.
Várias atrações paralelas, exposição de artesanato, exposição de alunos de design muitas barracas de comida…, mas, na verdade verdadeira… a atração principal foram os chapéus.
O inusitado, para mim, mas o tradicional para o evento, foi mais forte e roubou meu olhar, mas também o da maioria que foi mais pelos chapéus do que pelos lindos cavalos e cavaleiros de competição.
Os irlandeses apostam em tudo e nos cavalos é hábito diário.
O que eu não sabia era o fetiche que exercem os chapéus num evento como esse.
Quem vai sem chapéu, como eu, não existe.
É como baile a fantasia, ou veste a fantasia ou fica de fora!
Desfiles, maquiagens, designers, prêmios para o melhor chapéu, o mais criativo, a roupa mais adequada, a mais elegante, para os homens também…
Prêmios altíssimos!
Os lindos cavalinhos ficaram ofuscados pela exuberância dos chapéus.
Todo mundo se produziu, bom gosto não é necessariamente um requisito importante.
O que importa é a produção, para os modelos e seus criadores.
Final de festa, trocam-se os sapatos altíssimos pela sandália folgazã e vamos tomar uma Guiness porque ninguém é de ferro!

Publicado em Vivências em Dublin e arredores

Descobrindo a Irlanda

IMG_3350 2

IMG_3349

IMG_3346

IMG_3343

IMG_3344

IMG_3341

IMG_3340

IMG_3338

 

IMG_3331

IMG_3337

IMG_3328

A Irlanda surpreende sempre. Duas horas prá cá, uma prá lá e vamos descobrindo lugarejos lindos e cheios de memórias.

Na cidade de Carlow, fomos visitar um centro cultural junto da Universidade de Carlow: Visual Centre for Comtemporary Art.

Um espaço lindo para a cultura, com um belo teatro também.

Foi o trabalho de Joana Vasconcelos, artista portuguesa  que nos levou até lá.

É espetacular.

Junto trabalhos de artistas irlandeses igualmente lindos, tecendo os fios com muito engenho e criatividade.

O Museu é novo e de muito bem desenhado.

Como é possível cidades tão pequenas com tanto interesse pela cultura?

Cultura vende um pais! É o que sigo afirmando.

E, felizmente, parece que estão descobrindo a importância da cultura na imagem e na formação de um país.

Espaços culturais criam pontos de interesse que te  levam a  visitar aquela cidade.

Acho que o fizeram com muita sabedoria.

O Centro cultural ainda oferece workshops para crianças e adultos relativos à mostra em andamento.

Ótima iniciativa que tem sido adotada por vários museus criando focos de interesse para o público.

De quebra, um excelente restaurante com cozinha criativa e muito saborosa completam os prazeres da gula!

Recomendo a visita e o almoço no Lennons.